Beleza Amiga, Saúde

Saúde: Doce Pecado

Olá meninas, como estão?

Nada melhor que um docinho pra deixar a nossa vida melhor, não acham? Bom, isso era quase regra na minha vida. Sou uma chocólatra assumida e amo doces. Mas quando decidi mudar meu estilo de vida percebi que precisaria maneirar bastante. E sério, foi a parte mais difícil! Sentia (e ainda sinto) necessidade de comer um chocolate todo santo dia, só que depois de comer um, a vontade era de comer o segundo, terceiro, quarto ... e quando eu via tinha ido a barra ou caixa toda! MEDO!!

chocolate_agosto_2013

Ao iniciar a minha reeducação alimentar, me comprometi a ficar um mês sem o amado chocolate (porque eu amo doces, mas nada se compara ao chocolate mesmo). E nossa, foi um martírio! Ficava até sonhando com ele nas primeiras semanas. Mas continuei firme, queria limpar um pouco o meu organismo e interromper aquela dependência. A minha nutricionista, Dra. Priscila Sena, me sugeriu amassar uma banana, polvilhar canela e colocar 30 segundos no microondas pra amenizar a loucura por doces, comer gelatina após o almoço, entre outras. E gente, funcionou! Depois que acabaram os 30 dias, passei a me permitir comer um bombom ou uma sobremesa uma vez por semana, mas ainda não estava satisfeita.

Então, comecei a pesquisar mais sobre sobremesas saudáveis, e fiquei impressionada com o tanto de delícias que podemos fazer sem sair da dieta. Uma ótima descoberta foi a alfarroba (vou falar sobre essa maravilha em breve), o cacau em pó, o adoçante culinário e o chocolate meio amargo (eu só comia o ao leite). Foi aí que passei bastante tempo só comendo "doces" que levassem esses ingredientes. Fiquei meio obcecada com isso e tremia só de pensar em quantas calorias tinham em um bombom. Preciso confessar que chegou um momento em que percebi que não era aquilo o que eu queria. Meu objetivo desde o início era adquirir um estilo de vida saudável, viver bem comigo mesma, me olhar no espelho e ficar feliz. Bom, não posso negar que fiquei super feliz de ver meu novo corpo, de ver que todas as minhas roupas estavam mega folgadas, mas não estava feliz, estava me privando de muita coisa.

Foi aí que decidi tentar buscar um equilíbrio. Abandonei a ideia de abolir completamente os doces da minha vida, ao invés disso, decidi priorizar aqueles que mais gosto e comê-lo uma vez na semana, se achasse necessário. Durante a semana, opto sempre por aquelas versões mais saudáveis, mas se eu sentir a necessidade de comer algo "fora" da dieta, eu simplesmente como. Claro que a quantidade é bem menor do que a que consumia antes, mas é o suficiente para me deixar feliz. E assim, as coisas estão funcionando. Não nego que nesse processo tive duas recaídas: em uma festa de formatura e no chá de Lingerie de uma amiga, onde  devo ter comido uns 15 docinhos.  Mas acho que é assim mesmo, um processo, estou me ajustando e conhecendo os meus limites, minhas fraquezas, e descobrindo o que me faz feliz. Minha meta é encontrar um equilíbrio, é viver bem com meu corpo e minha consciência. E agradeço ao meu marido, familía e amigas por me mostrarem o quanto estava sendo radical comigo mesma. O que eu quero é continuar sendo saudável e feliz com o que vejo no espelho, mas sem sofrimento, culpa ou exageros. Não quero ser vista como a magra doente, a magra infeliz, só como: a magra saudável e feliz. Preciso dizer que não me vejo tão magra quanto todos me falam, mas acho que é porque a gente acostuma com nosso corpo e vai ficando cada vez mais exigente. Por isso é tão importante ter pessoas que nos amam e nos querem bem, saudáveis (e eu tenho várias assim em minha vida, graças a Deus).

Foi um desabafo e tanto, não é?

Espero ter ajudado alguém, ter acalmado algum coração inquieto.

Beijinhos.

 

Pra quem quiser o contato da minha nutricionista MARAVILHOSA: Dra. Priscila Sena - (61) 3346-6000 - NUTRIMED.

Post Anterior Próximo Post

Veja Também

Sem comentários

Deixar comentário